Fatos lamentáveis mancham campanha na cidade

Data: 31/08/2008 | Hora: 12:17 | Por: Leonardo Rodrigo


Tudo seguia na maior tranquilidade na campanha eleitoral de Moreno. Aconteciam aquelas coisas de sempre: caminhadas, passeatas, comícios e afins. A última sexta-feira (29/08) mostrou que até a eleição o caminho não será de flores, mas de espinhos também.

Primeira ocorrência daquele dia foi a distribuição, durante a madrugada, de panfletos apócrifos, com graves acusações de suposta condenação pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) da atual presidente da Câmara e candidata a vice prefeita, Jane Mendonça. O texto trazia o que afirmava ser parte do relatório da auditoria do TCE. Os trechos publicados falam de contratação irregular de pessoal, despesas sem a prestação de contas e desvios de verba apontados no relatório. Mais três vereadores, da mesma coligação da candidata, também foram apontados como participantes de tal esquema.

O panfleto não cita fontes e nem o número do processo de tal auditoria. No site do Tribunal (www.tce.pe.gov.br) é possivel realizar buscas de processos, mas não encontramos tal relatório. Em nota, Jane afirmou que tal ação é demonstração de desespero por parte dos adversários. Que queriam apenas manchar sua reputação, denegrir sua família e atingir colegas vereadores.

Com a estória do panfleto, os ânimos por parte dos militantes de Vavá Rufino (PSDB) e Edvard Bernardo (PMDB) ficaram acirrados. Naquela noite, um fórum tinha sido marcado no plenário da Câmara Municipal para falar sobre reforma urbana, e contou com a presença dos três candidatos a prefeito, além, é claro, de suas respectivas militâncias. Cada uma mostrou sua força no momento que seu candidato falava, sem nenhum incidente. Apenas alguns exaltados que falavam besteira, mas não passou manifestações isoladas.

No final do fórum, já do lado de fora da Câmara, era grande a concentração de militantes do PMDB, no momento quando passou aproximadamente 30 motos com bandeiras do PSDB no meio do público. Foi aquele xingamento mútuo. Era possível ouvir palavras de baixo calão de ambas as partes. E vários gestos obcenos.

As provocações continuaram principalmente com a chegada da caminhada promovida pela coligação do PSDB no centro da cidade. A confusão foi tamanha, que chegaram a acionar a justiça eleitoral solicitando reforço policial, o que terminou não acontecendo.

Até o dia 5 de outubro muita coisa deve rolar. Mas o bom mesmo seria se fatos lamentáveis como esses não ocorressem novamente. Assim, quem perde são os candidatos, as pessoas e a cidade.


Fotos relacionadas
Para visualizar, clique na imagem abaixo.
Comentários sobre o texto
Os comentários abaixo não expressam necessariamente a opinião do leoecia.com

Bruno
01/09/2008 às 15:50
Economia,está devendo ao Estado ñ quer dizer que vc tenha cometido fraude e usado o dinheiro para beneficio próprio,se estava atrazado e o pagamento foi feito ñ vejo nada de espanto com isso,se ele tivesse cometido fraude ele receberia punição por isso.
Ana
01/09/2008 às 15:56
Bruno concordo com vc,me diga qual é a prefeitura que ñ deve,principalmente a nossa que já vem com um rombo grande de gestões passadas,agora querem que Edvard faça milagre.Se ele tivesse cometido fraude a justiça tinha punido ele.se foi só atrazo com
economia?????
01/09/2008 às 15:57
bruno se vc olhar a sentença vai ver que a execução foi por causa autos do processo TC nº 06017559-9. e ele só pagou apos ser citado
economia?????
01/09/2008 às 15:59
o ideal é assumir que errou, e continuar uma boa campanha com porpostas!Pq contra fatos n há argumentos e outra o processo foi extinto pq ele teve que pagar!
economia?????
01/09/2008 às 16:00
quanto a isso aí edvard pecou... por isso não se pode falar sem provas mas isso ai tá mais que provado! Queremos propostas de ambos os lados
Ana
01/09/2008 às 16:01
pagamento ñ vejo nada demais,a oposição quer tentar manchar o que Edvard fez com essas mentiras, o trabalho dele deve continuar,pois ele está incomodando com os beneficios que está trazendo pra cidada.
Bruno
01/09/2008 às 16:06
Economia,pelo jeito que vc fala deve ser Alfredo doente,o que estou querendo dizer é que pelo processo ele não cometeu fraude e sim um possível atraso,pois se ele tivesse cometido fraude ele seria punido,tanto é que depois do pagt° o processo foi extinto.
Bruno
01/09/2008 às 16:12
E se vc diz que ñ escuta propostas va as ruas,acompanhe os comíssios,tente vêr o que cada candidato já fez por Moreno,como cada um encontro a prefeitura,voto em Edvard porque entre os 3 candidatos ele fez mais por nossa cidade.
Kleber
01/09/2008 às 16:17
Bruno,entre os 3 quem só fez foi Edvard,o povo de Vavá está dóido pra voltar e ter suas mordomias de volta,mais o povo não vai cometer esse erro novamente.Votar 15 é melhorar a cidade e dar alegria aos morenenses que não sabe o que é isso a muito tempo.
MARIA EDUARDA
01/09/2008 às 16:46
Rapaz todo povo tem admistração que mereçe!!!! Sinceramente que comentários que se transformaram em debates aqui, fracos e sem conteúdo político. A ROBALHEIRA no Munícipio já acontece com vaivém, há anos.... são mais de 20 anos no poder.Agora vcs ....
4
Faça seu comentário
Atenção fique atento as normas para postagem de comentários:
- Este espaço é para o livre debate única e exclusivamente sobre o assunto abordado no texto.
- Qualquer comentário que seja ofensivo, ou tenha termos pejorativos relação a uma pessoa ou instituição, que notadamente o endereço de e-mail informado durante a postagem não seja de servidor válido ou que o comentário esteja fora do contexto da abordagem, poderá ser vetado pelo responsável do site.
- Os endereços de e-mails que não estejam cadastrados no nosso sistema estarão sujeitos a avaliação de seu conteúdo.
- Para os e-mails cadastrados no site, também estão sujeitos aos itens acima mencionados.
- O uso de vários por uma mesma pessoas em várias postagens numa mesma sessão, também estará sujeita ao veto.
- Ao clicar no botão ENVIAR abaixo, você estará concordando e ciente dos termos acima.
Nome:
E-mail:
Comentário:
Código:
703a6
Repita o código acima:
Contador:
Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.