Vereadores enceraram trabalhos nesta quinta

Data: 11/12/2009 | Hora: 12:29 | Por: Leonardo Rodrigo


Chegaram ao fim as reuniões ordinárias da Câmara Municipal de Moreno. As próximas deverão acontecer apenas em fevereiro do próximo ano. Em 2009 foram 40 reuniões divididas em quatro períodos legislativos. Nesse tempo, mais de 300 requerimentos foram apresentados, enquanto que pouco mais de trinta projetos de leis eram apreciados e votados. Audiências públicas também fizeram parte desse calendário. Foram vários temas: segurança, Compesa, mulher, questão fundiária e o polêmico incinerador.

Na última semana dos trabalhos dos vereadores, mais uma audiência aconteceu na segunda-feira (30) no plenário. O assunto era novamente a segurança. A primeira já tinha sido realizada no mês de julho. O autor da audiência foi, mais uma vez, o vereador Bizarro. Ele convidou pessoas ligadas a área, que ainda contou com a presença de uma especialista no assunto. Verônica Campos. Os problemas encontrados foram apresentados, enquanto o vereador apontava soluções. Para Bizarro, as policias deveriam trabalhar integradas. Convênios deveriam ser criados e a guarda municipal passar por uma capacitação.

Outro ponto apresentado pelo vereador seria a participação popular, fazendo denúncias e prestando queixa na delegacia em casos de ocorrências. “A população desacredita na policia e por isso muitos deixam de prestar queixa. São através desses dados que a policia trabalha. Sem isso os números de casos nunca irão bater com a realidade” afirmou Bizarro. Visivelmente emocionado, ele lembrou do irmão e do comerciante Rinaldo, assassinados friamente, sem direito a defesa. A audiência terminou com a explanação dos convidados e a promessa de união contra a violência.

Na noite do dia seguinte, a penúltima reunião tinha uma pauta importante para ser votada. Em questão estavam os pareceres das comissões sobre os projetos: 021/09 - que institui o plano municipal de educação; 024/09 - orçamento geral do município e 023/09 - PPA, Plano Plurianual (2010 a 2013). Além de aproximadamente 40 emendas ao orçamento. Com a presença de todos os parlamentares, os projetos foram discutidos e aprovados em segunda votação.

Aproveitando o episódio do acidente que aconteceu em frente a Câmara minutos antes do inicio da reunião, onde uma mulher foi atropelada por uma moto, alguns vereadores usaram a tribuna para falar sobre o trânsito na cidade. Eles demonstraram preocupação em relação ao grande número de acidentes que acontecem nas ruas. A Câmara irá solicitar que a prefeitura faça um convênio com o BPTran para mudar o quadro atual de ocorrências no trânsito.

Por fim, a última reunião foi marcada por apresentação de requerimentos e votação de projetos de leis. Os vereadores apresentaram os seguintes requerimentos: Audiência pública com o INSS; Conserto de calçamento em Bonança; Troca de lâmpadas em Bonança; Criação de convênio entre BPTran e Prefeitura; Nota de elogios a policiais; Retirada do lixo de uma localidade; Realização do censo rural; Agendamento de uma reunião com Humberto Costa; Aprovação do relatório do saneamento básico e o conserto de um trecho da André Vidal de Negreiros, na Mangueira. Projetos de leis também foram apresentados: 028/09 - trata da educação ambiental; 027/09 - institui o dia da consciência negra; 030/09 -aborda sobre a poluição sonora e 031/09 - regula a utilização de calçadas por parte de comerciantes entre outros.

Depois de 30 minutos, tempo em que a reunião foi suspensa para que os vereadores pudessem debater algum assunto a portas fechadas, foi dado inicio ao grande expediente. O primeiro a usa a tribuna foi Ubirajara Paz. O parlamentar lembrou que o Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, esta incipiente no município. Alguns pontos são necessários para fazer ”a coisa andar”, seriam terras e projetos. Logo depois, Romero demonstrou sua preocupação com a falta de avanços de algumas ações da Câmara. O vereador foi interrompido por Ubirajara que frisou “não é papel do vereador executar”, dando a entender que quando um projeto sai da casa não é mais problema deles. Romero rebateu: “Só sossego quando nosso trabalho realmente der frutos. Apenas quando nosso trabalho for executado é que seremos reconhecidos. Por isso que afirmo que não avançamos”.

O terceiro a falar foi o presidente da casa, Pedro Mesquita. Pedro lembrou dos trabalhos ao longo do ano e das audiências e movimentos. O presidente afirmou que recebeu denúncias de irregularidades no bolsa família e na secretaria de saúde. Que os fatos serão apurados pela Câmara. Pedro ainda estranhou o fato de ter várias pessoas de outras cidades trabalhando na prefeitura local. “Eu moro em Moreno há 50 anos, se eu for em uma dessas secretarias muitos não vão me reconhecer, pois não são da cidade. Não conhecem nada aqui, como podem fazer um bom trabalho para a população?” indagou Pedro. Acompanhando as palavras do presidente, Givaldo afirmou ter recebido denúncias que os moradores do Alto das Estrelas e a população da área rural não estão sendo atendidas pelas ações da saúde.

Marcelo Bruno foi em defesa da secretária de saúde. Segundo ele, em 2005 a saúde não tinha carros e atendia pouco mais de 500 pessoas nos postos. Hoje, o número de atendimento triplicou e só para levar o pessoal da hemodiálise são dois carros com ar-condicionado. Enquanto as denuncias, o vereador afirma ser a favor de uma investigação e apuração dos fatos. Adilson Wanderley pediu para que o prefeito faça uma apuração no bolsa família. Segundo ele, as denúncias teriam saído de dentro da secretaria de ação social. Com o fim do grande expediente, foi retomada a pauta da reunião. Os requerimentos e leis foram para votação. E assim, acabou mais um ano no legislativo da cidade.


Fotos relacionadas
Para visualizar, clique na imagem abaixo.
Comentários sobre o texto
Os comentários abaixo não expressam necessariamente a opinião do leoecia.com

Seja o primeiro a comentar sobre este texto!
Faça seu comentário
Atenção fique atento as normas para postagem de comentários:
- Este espaço é para o livre debate única e exclusivamente sobre o assunto abordado no texto.
- Qualquer comentário que seja ofensivo, ou tenha termos pejorativos relação a uma pessoa ou instituição, que notadamente o endereço de e-mail informado durante a postagem não seja de servidor válido ou que o comentário esteja fora do contexto da abordagem, poderá ser vetado pelo responsável do site.
- Os endereços de e-mails que não estejam cadastrados no nosso sistema estarão sujeitos a avaliação de seu conteúdo.
- Para os e-mails cadastrados no site, também estão sujeitos aos itens acima mencionados.
- O uso de vários por uma mesma pessoas em várias postagens numa mesma sessão, também estará sujeita ao veto.
- Ao clicar no botão ENVIAR abaixo, você estará concordando e ciente dos termos acima.
Nome:
E-mail:
Comentário:
Código:
592t1
Repita o código acima:
Contador:
Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.