Candidatos fazem debate morno na Câmara do Moreno

O Sindicato dos Profissionais da Educação em Moreno (Sinpremo) realizou na noite da sexta (24) um debate entre os candidatos a prefeito no plenário da Câmara Municipal. O acesso ao local ficou restrito a pessoas credenciadas. Só que um telão foi montado na Praça da Bandeira para que as militâncias pudessem acompanhar a desenvoltura dos candidatos.

O debate foi dividido em seis blocos: o 1º foi de apresentações individuais; o 2º de explanações; 3º os candidatos fizeram perguntas entre si; 4º e 5º perguntas da imprensa e das entidades aos candidatos e 6º apresentaram as considerações finais. A organização ainda estipulou tempo máximo para perguntas, respostas, réplica e tréplica.

Dos quatro postulantes ao cargo, apenas Dilsinho Gomes (PSB) não compareceu ao evento. O socialista justificou sua ausência através de um ofício enviado a direção do sindicato. No documento, ele reinteirou seu respeito à entidade e afirmou que tem debatido as propostas com vários segmentos da cidade e que estranhava a atitude dos adversários que constantemente batem na frente que faz parte.

E durante o debate, Alfredo Costa (PCdoB), Vavá Rufino (PSDB) e Ubirajara Paz (PT) não perderam a oportunidade criticar o socialista. Inclusive dois deles perderam espaços no terceiro bloco (perguntas entre si) para explanar coisas do tipo: Vavá para Alfredo - o êxito da administração municipal se dá apenas pelo apoio do governo do estado? e de Alfredo para Vavá - O que teria acontecido com a candidatura do tucano e por que o PSDB quer retirá-la?

Nesse momento, apenas o petista Ubirajara foi o único que fez pergunta ao adversário (no caso Vavá) que falava sobre a questão do racionamento de água e das enchentes que aconteceram na cidade. Mas ainda assim, não deixou de alfinetar o governo do estado para atingir seu aliado na cidade.

Um assunto que também entrou na discussão foi o Cotonifício Moreno. O tucano e o petista afirmaram que a empresa é o entrave para crescimento da cidade. Mas não disseram o por que que outras regiões de Moreno, que estão fora do "domínio" da empresa, não se desenvolveram. Como é o caso de nossa área rural. No momento da nossa pergunta o foco foi justamente esse, o potencial turístico dessa área, que chega a ser mais de 85% de nosso território.

Na questão, apenas Alfredo Costa respondeu de forma consistente citando as riquezas naturais e históricas que temos e como faria para buscar verbas para investir no setor. Enquanto que as respostas dos outros dois foram subjetivas ficando apenas na "importância do setor" sem dar mais informações adicionais. Ubirajara falou que seria necessário criar setores de estruturação, mas não citou quais e como faria. Já Vavá pegou carona no projeto do governo estadual, o Arco Metropolitano, para afirmar que assim fará a integração da região.

Representantes de entidades civis também puderam fazer suas questionamentos aos candidatos. No total foram nove questões que perguntavam sobre diversos temas, como: atenção a criança e ao adolescente; propostas para o microempresário, para cultura, lazer e esportes; a questão dos professores do município e seus salários; e como resolver a situação da saúde em Moreno.

Na verdade, a participação dos candidatos nesse debate ficou com um gosto de quero mais. Afinal, não basta apenas mostrar as propostas de governo, mas sim como e onde serão captados os recursos para executá-los. Isso aconteceu em alguns momentos, mas foram em poucos. De parabéns mesmo esta a organização do debate e na apresentação do moderador, Aristides Félix, advogado do sindicato.

Publicado por Leonardo Rodrigo na data de 25/08/2012 às 11:16 e impresso na data de 21/11/2017.